quarta-feira, 10 de junho de 2020

NÃO HEXITES


Enlaça-me e desenlaça-me numa corrente de incertezas, que sustentas sem nunca saber qual é a casa da partida ou ponto de retorno.
Desembrulho os dias fugidios em interrogações voláteis e salobros.
A metade é tudo, e tudo não faz uma metade de vontades que flutuam nas asas do vento agreste vestido de tantas incógnitas.
Ó! Tanto por dizer, e outro tanto por ser dito!
Dias revoltos a escaparem-me por entre os dedos feitos areia fina.
Reconforto o meu coração desassossegado, ao beber a cumplicidade da tua vontade, que é plural.
Fundimos o nosso olhar, enlaçamos os dedos e saciamos a nossa sede na fonte das nossas bocas.
Porquê adiar o inadiável!
A felicidade não tem limites e muito menos algemas de mentes bafientas de bolor preconceituoso.
O nosso mundo corre aqui, nós marcamos a sua cadência.
Lá fora, vegeta a vida frenética desgarrada e hipócrita, a transpirar de medos e dúvidas que asfixiam a felicidade.
Enquanto isso paulatinamente, folheamos o libro das nossas memórias reescrevendo páginas outrora inacabadas.
Encerra em nós a única certeza do nosso norte, contrastando com um mundo inquisitório para com os passageiros artificiais que por ele deambulam sem identidade e desnorte.

DIOGO_MARR

quinta-feira, 12 de março de 2020

BOÇALIDADE POLÍTICA AO RUBRO


 
Vivo num país onde tudo se faz na base de pensos rápidos.

Medidas preventivas e duras, o poder político tem medo de as tomar. Sempre tudo algemado ao politicamente correto e ao garrote financeiro. Eu estou-me a CAGAR, REPITO, A CAGAR para o politicamente correto, a passividade atroz e irresponsável das autoridades deste país, são enervantes e instigam à revolta interior, por assistirmos a tantas reuniões de cosmética onde a montanha pariu um rato.

Há muito que se deviam terem adotado medidas drásticas para minimizar ou quem sabe estancar esta pandemia.

O Ronaldo das finanças que meta os mapas e os gráficos da economia na gaveta e aborte as metas orçamentais, e que se injete dinheiro para minimizar o sofrimento e a perda de vidas. UMA VIDA NÃO TEM PREÇO SENHORES POLÍTICOS. Depois ainda tem o despudor, de virem para a praça pública defecar umas lavercas, que foi injetado 10000000 de euros para fazer frente a esta pandemia do COVID? É RIDÍCULO, para o novo banco vão 800 milhões de euros. Depois quando levam com as verdades, viram virgens ofendidas, ou dizem que é populismo.

As nossas vidas não valem mais Sr. Ministro das finanças, Sra. Ministra da saúde e Sr. Costa?

E mesmo em quarentena o Sr. Presidente da república Marcelo o homem dos afetos remete-se ao silêncio! É deplorável a postura negligente que adotam, as nossas vidas não são para serem postas a leilão, nem a prémio numa roleta ruça viciada pelo sistema político.

O plano de imergência nacional, já devia ter sido posto em prática! Para meter na ordem os energúmenos que fazem da quarentena, férias para se andarem a passear disseminando o viros.

Estão a espera que os números sejam dramáticos?

Encerrar todos os espaços comerciais e de diversão cedo, os militares na rua, para vigiarem e meter na ordem os prevaricadores.

Cabe-me a mim, e a outros que como eu tem respeito pela vida dos Avós, Pais, filhos e até mesmo pelo meu semelhante desabafar e dizer: Esta letargia do poder político vai ser avaliada, e no fim julgada.

Iremos chorar, sim: Vamos infelizmente Mas as lágrimas da dor e revolta onde perdurar!

 

Vai todo o meu apreço e agradecimento, a todos os profissionais de todas as áreas que com profissionalismo sacrifício e dedicação tem dado tudo para salvarem vidas.

 

O COVID TORNA-SE LETAL, QUANDO ALEADO a ESTUPIDÊS, IGNORâNCIA E PASSIVIDADE!

Ontem já foi tarde.

 

DIOGO_MAR

domingo, 26 de janeiro de 2020

LIBRE PORQUE NÃO ESTOU ACORRENTADO


 
Tendo eu elegido para mim este 2020 como o ano sem filtros a todos os níveis, fluem muito mais rapidamente termos e palavras menos agradáveis ao ouvido, mas muito mais verdadeiras e espontâneas. Estou cansado de macieza nas palavras, de meios-termos, de hipocrisia e do politicamente correto. Terminou o meu poder de encache para virgens ofendidas que não gostam do contraditório, como uma criancinha a quem aplicamos um castigo, e ela vitimiza-se tentando chamar a atenção, fazendo birrinha histérica e ridícula. Por tudo isto, palavras como: LADRÕES-ROUBO, MENTIROSOS, CORJA-ESCUMALHA, PROXENETAS, VERMES-PARASITAS, são adjetivos que infelizmente ganham ênfase no meu vocabulário, já que nunca tiveram um enquadramento tão oportuno como nos tempos que correm tal é a promiscuidade e conivência. Temos muitas velhas raposas de todo o quadrante político com o rabo bem trilhado, passando o testemunho aos que lhes seguem, tudo isto sob o manto de organizações secretas que vão na sombra pautando o ritmo da orquestra. Esta trupe são os mesmos que enchem a boca de tudo fazerem em prol do povo, apregoando ao desbarato a palavra democracia. Não me venham com a escapatória que arranjaram de classificar de populismo tudo e todos que afrontam e desmascaram as mentiras chamando os bois pelos nomes, desmantelando os MALABARISMOS VIGARISTAS e EMBUSTES causadores de nos terem jogado na sargeta do ultraje e descrença, já que há justiça para ricos e outra para pobres, a educação está deseducada, e o serviço nacional de saúde está moribundo.

Se assim for, então sim: EU SOU POPULISTA, e sempre estarei disponível para dizer: ISTO É UMA VERGONHA!!!

 

DIOGO_MAR

domingo, 12 de janeiro de 2020

DIA SEM CALÇAS! (ONDE CHEGA O RIDÍCULO)


 
Já os vi, com as calças abaixo do cu, provavelmente sinal de estarem disponíveis vá-se lá saber para o quê!

Agora, temos a iniciativa tarde sem calças no metro de Lisboa e do Porto! Ou seja, vamos vê-los-ás andar em cuequinha!

 

Infelizmente estas tristes e deploráveis modas que chegam ao nosso País, rapidamente são adotadas por uma franja que só quer é dar nas vistas.

 

Uma geração insaciável, que a nascença trocou o genes da humildade, pelo da exigência, mal habituada que cresceu e cresce a sombra de todas as mordomias que os Rapazinhos lhes proporcionam. Nem que para isso fiquem de calças nas mãos.

Eles não sabem estar em nenhum lado, ficam irritados e impertinentes. Rapidamente lhes esgota a paciência para acompanharem os seus progenitores, afinal, já não passam de fonte de receita para a concretização dos caprichos dos fofos e queridos rebentos.

Venha daí a pasta para comprar o TLM topo de gama! Quero um plano ilimitado para puder navegar e publicar todas as senas que sejam brutais! Quero guito para sair a noite! Quero roupa, calçado e adereços de marca, não vou ser diferente dos meus amigos na escola, não vou andar a parecer mal! Que vergonha!

Enquanto isso, os desolados Papás, vão tentando passar uma outra imagem, para transmitir a ideia de que tem uns filhos exemplarmente educados. Mas rapidamente o verniz estala, já que os meninos e as meninas, não sabem estar na mesa, se estão é com o TLM na mão ou sempre debaixo de olho, não sabem fazer companhia muito menos participar nas conversas de convívio, são esquisitos de boca, e tomam atitudes lamentáveis da maneira como agem e falam para os seus Pais! De isso sim: deviam-se envergonhar! Valem pelos bens materiais que exibem, além disso é só merda!

Na escola são grosseiros as, para os professores e pessoal auxiliar, criticam, e perseguem os colegas que recusarem aderirem ao gangue. Em grupo acham-se fortes, sozinhos, borram as cuecas de medo.

Preocupam.se em modelarem o corpo, quando deviam era modelar os neurónios, e a sua postura em sociedade.

As pitas andam semivestidas, exibem-se tipo, montra de paleta de tintas de uma qualquer marca. Usam perfumes de fragâncias tentadoras e provocatórias.

Tanto eles como elas, consomem álcool em dozes industriais, porque é cool! Depois uma ervazinha para bater e para fechar, uma forte e dura seção de sexo.

Sempre vos digo, que conheço um bom punhado destes exemplares, de vários escalões etários e a amargura que os seus Pais tentam camuflar, mas: se há culpados, são os Papás que caíram na tentação de satisfazer todos os pedidos dos filhotes, sem lhes incutir responsabilidade, educação e respeito.

Dizem que os tempos são outros, daí terem adotado uma educação deseducada, sem alicerces sólidos e duradouros. Liberdade não é libertinagem!

Estes manos, e estas pitas, só mesmo de calças ao fundo do cu, ou então só em cuecas. Valem muito pouco.

 
DIOGO_MAR

sábado, 11 de janeiro de 2020

MORTE LENTA


 
A sociedade está infetada por um artificialismo despudorado.

A ganância feroz de mão dada com a obsessão por realizações de objetivos pessoais e profissionais, sejam a que preço forem, custe o que cosstar, conspurcou e inquinou a convivência que se devia pautar por regras salutares e verdadeiras, dando lugar ao culto dos alienados e imbecis que alimentam esses subterfúgios duvidosos que vão proliferando feitas ervas daninhas empestando de forma letal uma sociedade moribunda de valores pelos quais devia reger a sua conduta.

Depois adoram serem bajulados pelo impacto visual, já que o intelectual é um hino a ignorância animalesca, os chamados pacóvios de fato e gravata, que adoram ejacularem boa faladura, mas experiência de vida, a maior parte não sabem o que isso é, já que nasceram em berço de ouro, ou com o cu virado para a lua, fizeram o seu percurso académico onde os euros pagam as avaliações, e os resultados finais, depois entram para as juventudes partidárias os famosos jotinhas, apadrinhados pelas velhas raposas do aparelho partidário, que os conduzem para discípulos de organizações secretas onde juram fidelidade e subserviência, Esta é uma deplorável estirpe que nada sabe, nada fez na vida e sustenta o seu insuflável ego, com bacoradas, boçalidades, mentiras e insensibilidade para as necessidades do País real, alinhando a cartilha pelo politicamente correto o show off, mas tenebrosamente desumano.

Mas o mais importante para esta trupe, é garantir um taxo para a eternidade.

Torna-se difícil coabitar com estes padrões que nos tentam asfixiar.

Ser desalinhado das maiorias inquisitórias e aglutinadoras, é desgastante, mas o bem-estar com a nossa consciência e opinião é o ópio mais reconfortante e honesto que podemos obter.

Os indicies da nossa autoestima, devem ser estimulados para que nunca baixemos a guarda nem consentir que nos tornem estúpidos, porque uma sociedade estupidificada, é a presa mais apetecível que os abutres políticos mais desejam no prato.

Já não há pudor! Mente-se declaradamente, rouba-se escandalosamente, mata-se de forma direta e indireta impiedosamente, a justiça tem dois pesos e duas medidas deliberadamente. Vivemos no reinado do faz de conta.

Urge a necessidade da plebe erguer a sua voz, e marcar posição, gritando: O rei vai nu!!!

 

DIOGO_MAR

quarta-feira, 1 de janeiro de 2020

A QUEM SERVIR A CARAPUÇA


 
A QUEM SERVIR A CARAPUÇA

 

Eis entrados em 2020, novo ano, nova década, uma excelente altura para emendar erros e desvios comportamentais, enraizando dessa forma, a nossa personalidade e caráter.

Por mim, e para mim, o grau de exigência vai ser muito mais aturado impondo maior rigor aos-as  que passaram, e passarão pela minha vida.

Serei ainda mais frontal, mesmo sabendo que irei importunar os imbecis, os camaleões, os que alicerçam a sua vida em areias movediças, incorporando o papel de marionetas a procura de benefícios próprios, apresentando um elevado e grave deficit de humildade.

Consolido de forma intransigente a velha frase: que de nada me interessa a multidão que caminha do meu lado, importando-me sim, é com os que vão chegar ao fim comigo, esses sim, imbuídos de um espirito altruísta, serão o suprassumo dos melhores, e será a esses que tudo farei para lhes retribuir tal valorosa dedicação e entrega.

A doutrina da verdadeira e pura amizade, faz dela um amor que nunca morre.

 

Ações de cosmética a transbordarem de hipocrisia não!

Lambe-botismo ou jogos duplos não!

Palavras e atitudes superficiais, infetadas de show off ou de circunstância podre não!

Tiques de vaidade saloia não!

Submissão jamais!

Tomei esta decisão, porque de nada me importa estar de paz com os outros, se eu não estiver de paz comigo próprio.

De joelhos diante de DEUS, de pé diante dos HOMENS.

 

Os que me conhecem e lerem este apontamento, não se revendo nestas linhas mestras, desde já deixo o convite, para se autoexcluírem da minha vida, dessa forma, arrancam-me o meu último obrigado-a, pelo tempo que me fazem poupar nessa triagem, embora a alguns-as, muito já lhes tenha caído a máscara. É que não é por nada, conheço de ginjeira muitas-os lobos, que vestem pele de cordeiros, e que me faziam um grande favor de me esquecerem ou ignorarem, contribuindo dessa forma para a minha felicidade, de outra forma terei que lhes ministrar uma boa e abundante doze de indiferença e desprezo.

O ato mais hediondo, é a prostituição do carater e da personalidade.

 

FELIZ 2020

 

DIOGO_MAR

domingo, 10 de novembro de 2019

O LÁPIS DA CENSURA É OUTRO?



Estamos a viver tempos envoltos numa densa bruma de suspeição.
Programas suspensos, informação manipulada cirurgicamente tudo isto ao serviço do poder político.
Casos flagrantes dos espaços de jornalismo de investigações Sexta as 09 levianamente suspenso pela direção da RTP canal público e que todos contribuímos para sustentar, na pessoa da Maria Flor Pedroso, familiar do Primeiro-ministro, António Costa, a mesma sorte tiveram os programas linha da frente, que regressou com os conteúdos alterados, mais o prós e contras. Mas voltando ao programa sexta as 09 com a Sandra Felgueiras, regressou após as eleições, mas cortaram-lhe ao tempo do programa.
MEUS SENHORES AS VERDADES NÃO tem minutos contados!!!
NÃO GOSTAM? TEMOS PENA!!!
DOA A QUEM DOER. O IMPORTANTE É DESMASCARAR o vergonhoso jogo de interesses onde chafurda o poder político deste País, que está a precisar de um forte abanão, para derrubar poderes instalados, e o bafiento clientelismo político.
No ar paira um cheiro a censura. Será que o lápis mudou de cor?
Vivemos num pântano de corrupção escandalosa, vamos sabendo de muitas situações, porque temos fantásticos jornalistas que recusam serem silenciados, e vão pondo a nu, muitos figurões deste País que se julgavam serem intocáveis.
Mas, constato uma grande falta de poder de encaixe para a crítica e para a investigação por parte da classe política, reagem feitos virgens ofendidas vitimizando-se, ficam nervosos e histéricos.
Mas que é isto?
Não há intocáveis!
Esta estirpe de gentalha, até vende a alma ao diabo, tudo pela fome do poder.
E a justiça, tem de julgar e prender os prevaricadores, não é cederem as preções do poder político, para deixarem prescreverem os processos onde estão envolvidos ilustres ladrões.
Depois, a classe política, vive num outro Portugal que não o da maioria dos Portugueses. Dizem que que tudo funciona, mas o que é certo, é que a justiça arrasta-se, a educação adultera-se, e o serviço nacional de saúde, está moribundo.
Afinal, em que País vivem estes figurões?
Eles já mentem e roubam, à escâncara! Já perderam o pudor.
Tão mal és tratado Portugal!!!

DIOGO_MAR