terça-feira, 13 de maio de 2014

REAL? OU IRREAL?




Perco-me na correnteza dos dias, submergidos nas cinzas de uma vida à janela do faz de conta, sufocando a minha dor.

Refugio-me num monólogo, em recriações de um personagem imaginário, com vontade sôfrega de ser verdadeiro.

Tal como um rio, asfixiado pelas suas margens, também eu me sinto prisioneiro de mim próprio.

Um labirinto existencial, moldado aos olhares formatados de uma sociedade implacável, cheia de preconceitos e tradicionalismos bacocos.

Sou órfão de mim mesmo.

Transporto no peito, um vulcão, a expelir uma melancólica, e devastadora frustração desencantada.

Amordaço o meu eu, mato os meus desejos, mascaro a minha essência, só para agradar, a quem facilmente aponta o dedo, mas que nunca serviu de exemplo.

Ó bálsamo enganador!

Coabita em mim, um clima de guerra fria, onde a farsa sai sempre a ganhar.

Mas porque ade ser assim?

Sinto-me covardemente resignado, a uma trajetória que me conduz ao abismo da insatisfação.

Sou uma história inacabada, brinquedo desfeito, vida esquartejada.

Se ao menos, tivesse coragem, de rasgar o guião onde não me revejo.

Mas já nem isso tenho!

Os meus passos perdem-se na ruela de uma cáustica e demolidora saudade prenha de ilusões.

Rastejo moribundo, numa alegoria onde o sol cega o meu ego.

Eu já nem sei de mim, ando a procura, sem jamais me encontrar.

Afinal o que sou?

Uma amálgama?

Um desejo?

Ou um labirinto?

 

 


DIOGO_MAR

10 comentários:

  1. Bom dia Diogo

    Que texto maravilhoso....Que sejas, dos três, o desejo, ehehehehhehheh
    Adorei.

    Tem um dia feliz
    Beijos

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Cidália:
      São as encruzilhadas da vida!

      JINHO

      Eliminar
  2. Gostei bastante! Identifiquei-me muito com este texto! ^^
    Tenho a certeza que se saíres da rotina, descobres algumas respostas! ;)
    Abraço :3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá João, acho que a coisa a que apelidamos de rotina, vai aos poucos decepando o nosso EU!
      No fim sobra um amontoado de cacos com trago a saudade e um inconformismo, que nos asfixia!

      ABRAÇAÇO

      Eliminar
  3. Todos somos uma mistura de bem e mal, de coisas melhores e piores... Todos somos imperfeitos e, por isso, humanos.

    Beijinhos Marianos, Diogo! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem mais Maria, é o desafio constante a que a vida nos poem a prova!

      JINHO

      Eliminar
  4. Olá Diogo,

    Na maioria das vezes a "realidade" do social repleta de incoerências e falsos modelos,

    aponta para um caminho abismal,onde a "felicidade" essencial será esmagada.

    Sendo necessário a urgência da simplicidade de Ser no caminho próprio (único)...

    Gostei imenso do texto poético!!

    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Suzete, são as escarpas de um caminho sinuoso, mas que temos de percorrer, nem que fique salpicado de gotas de sangue de saudade!

      ABRAÇAÇO

      Eliminar
  5. Retratou-me em uns dias atrás...Me senti assim. Mais como nada é perfeito e também o imperfeito não é total,recebi um desafio de um amigo ;o desafio de escrever um novo capítulo do livro de minha vida. Ainda não sei o que sou, porém acredito ser um pouco de cada...Amalgama, desejo, labirinto. Tbm não quero ser algo definido ,ainda quero ser e permanecer incognita

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Andreia, é o labirinto existencial, que meche com a nossa identidade!
      Assim vamos escrevendo, ou reescrevendo capítulos da nossa vida.
      A história continua!!!

      JINHO

      Eliminar