terça-feira, 6 de janeiro de 2015

GRITO DE SILÊNCIO



Embalo os dias vazios, num olhar melancólico, vestido de abandono a percorrer o teu retrato, emoldurado pela mão carrasca e impiedosa da saudade.

Ó, tempo longínquo a perder de idade.

 

Peito desventrado, pela força implacável e incandescente da ausência.

Lagrimas derramadas num chão de sofrimento.

Coração peregrino a pulsar evocando esse momento.

 

Fogueira de gelo, petrificada pela cristalização dos dias

Arranco ao peito o grito exuberante, mas amordaçado do beijo que me pedias.

 

Recorto as palavras com o bisturi da paixão

Naufrago na terra do desencanto, prostrado por sobre a laje da solidão.

 

Dispo-te, no olhar fecundado de um amor que partiu

Correnteza da amargura asfixiante, das margens do desespero que me pariu.

 

És a luz das trevas que ilumina o meu ser

És a mágica noite de êxtase infinita, sem amanhecer.

 

Não,

Não corras mais meu coração louco

Não podes agarrar a vida já passada

Deambulo feito pássaro perdido, escabeceando nesta vida de langor e desabrigada.

 

O meu peito, explode em fogo de napalm

Jorrado na lama do sofrimento sangram as cicatrizes da alma

Por favor enlaça-me na tua âncora de abrigo, no teu abraço de mundo

Imploro-te!

Vem!

Sacia-me a fome!

 

 

DIOGO_MAR

8 comentários:

  1. O texto está fantástico, Diogo!
    Há silêncios, que se fazem mesmo sentir e ouvir na alma, da mesma forma que haverá muitas palavras, que por mais que sejam ditas e repetidas, não nos dizem rigorosamente nada...
    Excelente trabalho!
    Um abraço
    Ana

    ResponderEliminar
  2. Venho agradecer e retribuir os votos de ano feliz.
    Que 2015 permita a realização de muitos sonhos.
    Um abraço
    MIGUEL / DEUSA

    ResponderEliminar
  3. r: Muito, muito obrigada!
    Não levo nada a mal :)
    Por mais que o medo não desapareça na totalidade (o que até acho que é bom), não podemos deixar que nos impeça de sair da nossa zona de conforto e de lutarmos pelo que queremos.

    Vou lá passar (:


    Eles merecem todas aquelas palavras por fazerem algo com tanta qualidade.
    Isso é muito bom!
    Obrigada pelo conselho, de coração. Desde que tenho blog não me posso queixar, visto que nunca recebi comentários desse género. Quando isso acontecer voltam pelo caminho que vieram.
    Cuidado ao fechar as gavetas :p

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  4. Quanto sentimento!

    Um texto muito bom.


    Beijo

    ResponderEliminar
  5. Talvez um grito no silêncio do ruído do dia a dia, não um grito de silêncio.
    Um grito que cai nas profundezas de quem o lê.
    Muito bom, Diogo!
    xx

    ResponderEliminar
  6. "Saciou-me a fome literária..."
    :) :)

    ResponderEliminar